sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

08/02/2012 - Palmeiras 3x2 XV de Piracicaba

Estádio do Pacaembu - Campeonato Paulista


Clique aqui para a ficha técnica

Desta vez fui acompanhado ao estádio! Amigos do trabalho aceitaram fazer um "bate-volta" de São José dos Campos até São Paulo para acompanhar o Palmeiras. Apesar do cansaço foi muito divertido, e o time correspondeu em campo.

O time veio todo modificado por conta de desfalques e contusões, mas não demorou para se encontrar em campo. Daniel Carvalho, atuando como titular, recebeu de Assunção, tabelou com Fernandão e abriu o placar com um belo gol. Tomamos um empate, porém, num lance de falta que enganou Deola. Nosso goleiro, aliás, estava um tanto irreconhecível, errando passes, cobrando tiros de meta diretamente para a lateral, falhando em lances fáceis. A torcida xingou, injustamente, em minha opinião. Foi apenas uma noite ruim.

Logo no começo do segundo tempo Marcos Assunção cobrou falta magistral e pôs novamente o Palmeiras na frente. Novamente levamos o empate em confusão entre Deola e Maurício Ramos, que acabou marcando contra, mas nem deu tempo de ficar triste: após cruzamento de Assunção, Artur entrou de cabeça para marcar o terceiro.










01/02/2012 - Palmeiras 2x0 Mogi Mirim

Estádio do Pacaembu - Campeonato Paulista


Clique aqui para a ficha técnica


Um dia bastante triste para mim, fui completamente desanimado ao estádio, não tinha grandes motivos para torcer. Não leveu câmera (na verdade, nem mesmo tenho uma, fico pegando emprestado) e a catraca não emitiu recibo. Marcos Assunção fez um gol aos dois minutos de jogo, de falta, e fechou o placar com outra falta aos 42 do segundo tempo. Foi o terceiro ano seguido em que vi Palmeiras x Mogi Mirim, porque em 2011 tive a oportunidade de acompanhar um empate sem gols como visitante, em Mogi.




25/01/2012 - Palmeiras 1x1 Portuguesa

Estádio do Pacaembu - Campeonato Paulista


Clique aqui para a ficha técnica

O Palmeiras havia estreado com vitória contra o Bragantino fora de casa no Campeonato Paulista, e fazia agora sua primeira partida oficial em São Paulo. Era feriado na cidade, mas eu, trabalhando fora, tive que correr para chegar a tempo do jogo.

Murtosa, que substituía Felipão, suspenso, deixou Juninho na lateral esquerda, por onde saiu a maioria das jogadas, com Luan. Na direita, porém, Cicinho não subia, e também por isso pecava na marcação. Foi assim que tomamos um gol logo no começo do segundo tempo. Víamos uma Portuguesa perigosa por aquele setor. Valdívia foi anulado pela marcação, então nada de jogadas pelo meio.

Com Maikon Leite no lugar de Tinga o time ganhou velocidade, e passou a descer também pela direita. Daniel Carvalho, a boa surpresa do ano, acertou um passe longo para Maikon Leite, que cruzou na medida para Ricardo Bueno empatar.







segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

14/01/2012 - Palmeiras 1x0 Ajax (HOL)

Estádio do Pacaembu - Amistoso Internacional


Clique aqui para a ficha técnica

Primeiro jogo de 2012, um amistoso internacional marcado contra o Ajax, da Holanda, no Pacaembu, apenas uma semana depois de São Marcos ter anunciado sua aposentadoria. Por isso, cinco mil torcedores saíram do Palestra Itália e, atrás de um carro de som, fizeram uma procissão para São Marcos, até a praça Charles Miller, na frente do estádio. Apesar do trânsito foi algo bonito de ver: uma homenagem a Marcos, a única unanimidade no futebol brasileiro atual.

Fui com meu irmão, encontrei amigos, e depois das cervejas na entrada (e de ter visto torcedores holandeses andando por ali) fomos acompanhar o jogo. O Palmeiras entrou com o suposto time titular, cuja única novidade foi Juninho na lateral esquerda. O primeiro tempo foi bom, com bons lances para os dois lados, incluindo uma cabeçada de Luan que carimbou o travessão.

No segundo tempo Felipão promoveu nada menos que SEIS substituições, o que é normal em amistosos, mas que deixa o jogo sem brilho. As jogadas simplesmente não saíam, e virou um jogo difícil de ver. A melhor alteração, em minha opinião, veio com a saída de um apagado Valdívia e a entrada de Pedro Carmona, que passou a armar as jogadas ao lado de Maikon Leite. Carmona, assim como no jogo contra o Vasco, entrou muito bem e deixou o meio de campo mais criativo.

Já sob vaias e (desnecessários) protestos da torcida, aos 48 do segundo tempo saiu de uma jogada bem construída o gol que marcou a nossa vitória. Chico roubou a bola na intermediária e tocou para Gerley, que viu Luan disparar. Luan foi à linha de fundo e cruzou na medida para Pedro Carmona que, livre, cabeceou. Na comemoração, Carmona imitou uma defesa, fazendo mais uma homenagem a Marcos.