sábado, 3 de dezembro de 2011

27/11/2011 - Palmeiras 1x0 SPFC

Estádio do Pacaembu - Campeonato Brasileiro


Clique aqui para a ficha técnica

Domingo à tarde eu e meu irmão fomos ao nosso último jogo do ano. que graças à CBF acabou sendo um clássico (modelo que eu aprovo, aliás). Sem grandes pretensões a não ser mostrar para sua torcida que o elenco ainda demonstra alguma vontade, o Palmeiras jogou leve, num estádio moderadamente cheio (também por causa de uma promoção feita pela diretoria).

O primeiro tempo foi morno, sem grandes jogadas para os dois lados, mas que acabou tendo as duas traves carimbadas. O Palmeiras quase marcou aos 47 minutos, após boa jogada pela direita. Mas graças à intervenção do goleiro e a uma falta de sorte incrível no rebote a bola explodiu na trave e foi pra fora.

O time voltou igual após o intervalo, e após confusão na área a cobrança de falta de Marcos Assunção enganou todo mundo e foi direto para as redes. Houve muita comemoração por parte da torcida, sendo que a TUP ergueu seu já tradicional bandeirão da Arrancada Heróica de 1942.

Felipão então fechou o time, deslocando Marcio Araújo para a direita e colocando João Vítor no lugar de Cicinho, e ainda Chico no lugar de Patrik. Valdívia tornou-se o único responsável pela criação, e em grande jogada deixou Fernandão (que entrara no lugar de Ricardo Bueno) na cara do gol para perder um gol inacreditável.

Após chances perdidas de ambos os lados o jogo terminou com vitória alviverde. A torcida ainda acompanhava o jogo do Vasco (veja última foto), e vibrou com o gol que adiava a decisão do título para o fim de semana seguinte. Eu, particularmente, não estava me importando. Lamentava a campanha do Palmeiras em 2011, mas estava satisfeito pela vontade demonstrada pelo elenco. Estou confiante em um melhor ambiente para o próximo ano, e que ele traga melhores resultados.

E que venha 2012. Eu estarei lá acompanhando!







16/11/2011 - Palmeiras 1x1 Vasco

Estádio do Pacaembu - Campeonato Brasileiro


Clique aqui para a ficha técnica

Tive minhas dúvidas quanto a ir a este jogo, uma vez que a fase dentro e fora do campo estava cada vez pior, e o Palmeiras vinha de um empate contra o Grêmio quando, fora de casa, ganhava por dois a zero. Pensei que veria protestos, e mais, que veria mais anti-SCCP que palmeirenses.

Por dignidade, por amor à camisa, não sei, mas a questão é que naquele momento pouco me importou quem estava na frente, ou se alguma "manipulação" por parte do Palmeiras beneficiaria alguém. Eu queria, de fato, ver o Palmeiras voltar a vencer. Fui ao jogo.

Infelizmente, em poucos minutos, tomamos um gol após um escanteio, batida de cabeça da zaga e má saída de Deola, que ficou bloqueado antes de conseguir chegar à bola. Foi aí que os anti-SCCP atacaram! O comentário nas arquibancadas era um só: entrega Palmeiras, e vamos Vasco. Não sabia se tinha mais antipatia da torcida adversária, que lotou seu setor e cantava sem parar, ou dos próprios pseudo-palmeirenses.

Com três volantes e apenas Patrik como armador, o time não tinha meio de campo. Apesar de dominar a posse de bola não atacava com eficiência. Após o intervalo Felipão pôs Pedro Carmona, e então as jogadas começaram a sair. E o empate veio aos 18 minutos, com Luan, um gol para lavar a alma e calar os que diziam que o time entregaria o resultado.

A partir daí só deu Palmeiras, que só não virou por falta de sorte e por grande atuação do goleiro do Vasco. A torcida empurrou, e com uma atuação convincente (se não pela técnica, pela vontade de vencer) o time saiu aplaudido.

Indo direto do trabalho, esqueci de pegar a câmera. Seguem fotos em baixa qualidade, tiradas do celular.







domingo, 30 de outubro de 2011

22/10/2011 - Palmeiras 1x2 Figueirense

Estádio do Canindé - Campeonato Brasileiro


Clique aqui para a ficha técnica

Palmeiras entrou com três atacantes, apenas trocando Fernandão por Ricardo Bueno no meio. Sem organização, o time começou pressionando e levou um gol logo aos dez minutos, em um contra-ataque. Não tenho muito o que escrever sobre o jogo depois disso. Foi um festival de ataques bagunçados do Palmeiras, contra 11 jogadores do Figueirense no campo de defesa.

Levamos outro, em mais um contra-ataque, no segundo tempo. Ricardo Bueno ainda descontou aos 48 minutos. O "destaque" do jogo ficou por conta da torcida, que lembrou as brigas de meados da década passada. A principal organizada elegeu seus vilões e xingou por um bom tempo. O restante do estádio se manifestou contra a organizada quando esta criticou Valdívia, que ironicamente fez uma partida, se não boa, ao menos esforçada.

Ainda houve tempo para um confronto entre os seguranças do Palmeiras e torcedores da Portuguesa, que voltavam do jogo contra o Americana e comemoravam a volta à Série A. Que fase, definitivamente. Palmeiras deve jogar em Barueri em duas semanas, e eu não poderei ir (viagem de trabalho). Com os clássicos chegando este talvez tenha sido meu último jogo de 2011.








terça-feira, 18 de outubro de 2011

16/10/2011 - Palmeiras 1x2 Fluminense

Estádio do Canindé - Campeonato Brasileiro


Clique aqui para a ficha técnica

Mais uma vez no Canindé, para ver um time desfalcado de alguns de seus principais jogadores e desmotivado pela eterna crise "auto-infringida" que só o Palmeiras parece ter a capacidade de gerar. Eram pouco mais de 3,5 mil torcedores, sendo que havia pelo menos uns 800 cariocas. Murtosa, substituindo Felipão que estava em viagem, escalou Paulo Henrique na lateral direita e manteve o esquema com três atacantes, apenas inovando com Ricardo Bueno no lugar de Fernandão.

Logo de cara, aos dez minutos, em vacilo da defesa tomamos mais um gol de bola aérea. O Fluminense se fechou, jogando apenas no contra-ataque, e Murtosa mexeu por volta dos trinta minutos, colocando Rivaldo no lugar de Paulo Henrique, passando Márcio Araújo para a lateral.

O time melhorou, mas não por causa da alteração. A pressão existia porque o Fluminense chamava o Palmeiras para o ataque, mas as finalizações eram horríveis e os ataques, desorganizados. No segundo tempo chegamos ao empate por causa de um pênalti medonho, completamente inexistente, marcado em Luan. O juiz tinha invertido algumas faltas e marcava qualquer encostada para o Fluminense, então talvez tenha tentado compensar algo. Valdívia bateu e  marcou.

Mas então veio o golpe final. Em chutão pro ataque, Martinuccio (sim, aquele) ganhou de Thiago Heleno na corrida e cruzou para Fred, livre, marcar sem qualquer dificuldade. Banho de água fria na torcida, que ainda acreditava na virada. Protestos, xingamentos e vaias, como não poderia deixar de ser...








segunda-feira, 10 de outubro de 2011

09/10/2011 - Santos 1x0 Palmeiras

Vila Belmiro - Campeonato Brasileiro


Clique aqui para a ficha técnica

Minha primeira visita à Vila Belmiro. Talvez pela fase, foi a única vem que consegui comprar os ingressos na bilheteria do Palestra Itália. Paguei caro por um lugar HORRÍVEL, não só atrás do gol, mas atrás de DUAS grades. No intervalo, quando muita gente desceu para ir ao banheiro, eu subi pra arquibancada (por isso as fotos são "quadriculadas" no primeiro tempo).

Vamos resumir: o Palmeiras entrou com três zagueiros e apenas um meia de criação, Pedro Carmona, que ainda não demonstrou segurança com a camisa do time. Com muitos desfalques dos dois lados o jogo foi ruim de ver, na verdade, apesar de uma bola na trave de cada lado no primeiro tempo e grandes intervenções de Deola.

Foi no segundo tempo que, como diria Felipão, após uma "infantilidade medonha" da defesa o Santos marcou o gol. Com um jogador do próprio Santos no chão o time todo parou, esperando que a bola fosse tocada pra fora para atendimento. No entanto, a bola foi cruzada na área para gol de Borges, livre de marcação, em falha de Maurício Ramos.

Fernandão ainda teve grande chance de empatar ao final, mas parou na defesa do goleiro e ficou por isso mesmo.