sábado, 5 de janeiro de 2019

02/12/2018 - Palmeiras 3x2 Vitória

Estádio Palestra Italia / Allianz Parque - Campeonato Brasileiro



Se alguns palmeirenses saíram 'frustrados' do compromisso anterior (a goleada frente ao América-MG) por ter o título adiado, agora não havia mais dúvidas. O Palmeiras batera o Vasco com gol de Deyverson, fora de casa, sagrando-se decacampeão brasileiro com uma rodada de antecedência. O adversário desta tarde já estava matematicamente rebaixado, ou seja, um jogo festivo, da entrega da tala, de encerramento de mais uma campanha vitoriosa do Palmeiras, em que nem as (sempre presentes e que devem sempre ser mencionadas) interferências da arbitragem atrapalharam - ao menos não na conquista do Brasileiro.

Como não poderia deixar de ser, o início da partida foi morno, quase morto, sem grande itneresse de nenhum dos lados. A festa alviverde nas arquibancadas começara cedo, no entanto, com faixas que cobriram todos os setores (incluindo os superiores), fogos e cantos. O mosaico 3D, tal como na final da Copa do Brasil em 2015, trouxe desta vez Felipão e Moacir, da torcida organizada. Tocando bola e jogando com naturalidade, o Palmeiras chegou ao gol apenas aos 43 minutos do primeiro tempo: Dudu pegou a sobra e cruzou no segundo pau, para Dracena entrar e marcar de cabeça, comemorando com a torcida.

Com Deyverson em campo, para alegria da torcida, o Palmeiras manteve seu ritmo leve e chegou ao segundo gol novamente com o toque de bola - troca de passes pela direita, e Dudu passou para Gustavo Scarpa que, de fora da área, encheu o pé e contou com um desvio no caminho para matar o goleiro. O jogo parecia definido, e mesmo em marcha lenta o Palmeiras ainda criou boas chances, com Deyverson e Scarpa, mas não aproveitou. E num contra ataque, após falta de Luan sobre o zagueiro FORA DA ÁREA, o vagabundo do juiz assinalou o pênalti, sorrindo. O adversário diminuiu. Não era dia de revolta, de nervoso, mas não adianta. Mesmo em jogo festivo parece que fazem questão!

Logo após o gol Moisés rendeu Scarpa, e numa bobeada pela direita um atacante fez um belo giro dentro da área e venceu Weverton, empatando a partida. Água no chope? Havia ainda vinte minutos para o encerramento da temporada com chave de ouro, e com Guerra no lugar do cansado Lucas Lima o Palmeiras foi pra cima e criou diversas chances. Já depois dos 40, após jogada de Dudu, Guerra recebeu na entrada da área, enxergou Bruno Henrique e apenas rolou a bola para o companheiro, que meteu um golaço para cravar os 80 pontos e coroar a sensacional campanha alvi-verde no campeonato.

Palmeiras: Decacampeão brasileiro!













27/11/2018 - Palmeiras 2x1 SPFC

Estádio Palestra Italia / Allianz Parque - Supercopa Sub-20


Atual campeão do Campeonato Brasileiro Sub-20, o Palmeiras encarou o atual capeão da Copa do Brasil em duas partidas com mandos sorteados, na chamada Supercopa Sub-20, que dá acesso à Libertadores da categoria. A diretoria, dada a boa fase, marcou a finalíssima para o Allianz Parque, com ingressos que podiam ser trocados por um quilo de alimento.

No primeiro jogo fora de casa o Verdinho, irreconhecível, até saiu na frente mas levou uma virada e chegou a estar perdendo por 4x1. Reagiu no final da partida e o placar final foi de 4x3. Neste jogo, saímos atrás após bobeada da defesa, com direito a provocação do atacante inimigo - o que prova que a babaquice vem da base. Após uma expulsão do lado de lá (outro moleque que acha que é mais do que realmente é), veio a virada com Vitão, ainda no primeiro tempo, e depois com um golaço de Papagaio aos 38 do segundo tempo, levando a decisão para os pênaltis.

Nas cobranças, Papagaio iniciou a sequência com um preciosismo exagerado que causou calafrios em todos os presentes - o goleiro só não pegou por milímetros. Essa mania de cobrar pênaltis como "craque", com paradinha, tentando deslocar o goleiro, porém, fez sua vítima: Wesley cobrou desta forma e o goleiro pegou. Wesley, que já tinha feito partida fraca, foi duramente criticado.

Não deu pro Palmeiras desta vez, mas o número de títulos da base em 2018, em todas as categorias, foi expressivo, e o time é base da seleção da CBF em todas as competições (o que não é lá grande coisa, já que desfalca nossos elencos em competições importantes). Prova de um grande trabalho.







terça-feira, 27 de novembro de 2018

21/11/2018 - Palmeiras 4x0 América-MG

Estádio Palestra Italia / Allianz Parque - Campeonato Brasileiro



O Palmeiras disperdiçara a chance de disparar na liderança no domingo anterior, contra o lanterna, em partida tecnicamente ruim também devido às condições climáticas. O empate, embora tenha sido o suficiente para manter o segundo colocado a cinco pontos de distância, reduzia a chance de termos o título confirmado nesta partida. Dependíamos de resultados dos concorrentes diretos, e um deles veio antes da nossa partida, devidamente acompanhada pelos torcedores nos bares da região. Faltava um tropeço daqueles caras do tal cheirinho...

Novamente tendo que fazer seu dever de casa, Felipão novamente mandou o que tinha de melhor, substituindo apenas Diogo Barbosa por Victor Luis. O Palmeiras amassou o visitante e criava oportunidade atrás de oportunidade, que paravam na falta de pontaria, na falta de sorte e também na boa atuação do goleiro adversário. Foram 20 minutos de insistência, uma pausa, e novo massacre nos últimos dez minutos, mas nada do gol sair. O clima, que deveria ser de apoio e festa, estava no mínimo esquisito, ainda mais com as notícias de que o adversário estava ganhando seu jogo em MG.

Depois de perder muitos gols, Borja cedeu lugar a Deyverson no intervalo, e este pôs pra dentro antes do primeiro minuto de partida - em posição de impedimento, corretamente anulado pelo juiz. O gol (que valeu) saiu finalmente aos 13, após levantamentos na área, contamos com a sorte e Luan acabou empurrando pras redes. A ansiedade baixou, a torcida acalmou, e o Palmeiras começou a construir jogadas com mais naturalidade.

Aos 30, novo cruzamento na área, a bola sobrou pra Dudu que apenas rolou para William marcar o segundo. E dois minutos depois, uma pintura: pelo meio, de fora da área, Dudu levantou a cabeça e mandou um foguete por entre as pernas do marcador, que morreu no ângulo esquerdo do adversário. Um golaço, que por sorte acabei filmando (mesmo em baixa qualidade, mesmo do outro lado do campo, dá pra ter uma ideia, abaixo).

Ainda havia tempo para mais um: Mayke pôs na cabeça de Deyverson, que fez o seu. Ele e o zagueiro bateram cabeças e o jogo ficou paralisado por alguns minutos para atendimento, porque Deyverson estava sangrando. Fim de jogo, a torcida pega os celular e acompanha a partida do adversário, que marca mais um ao final do jogo. Estranhamente, houve um clima de velório no Palestra. Não parecia que falta apenas alguns pontos para o título, mas sim que o havíamos perdido. Domingo tem mais um jogo, contra um desesperado adversário que luta pra não cair. Qualqluer tropeço rival nos dá a taça (e agora há apenas um rival). Seguimos!










14/11/2018 - Palmeiras 3x0 Fluminense

Estádio Palestra Italia / Allianz Parque - Campeonato Brasileiro



Após a vitória no clássico, o Palmeiras vinha de um empate fora de casa, buscado após estarmos perdendo de um a zero, na partida que por muitos era considerada a mais difícil da reta final. Um dos adversários diretos teve um pênalti 'suspeito' a seu favor no último minuto, mas a derrota do outro adversário fez com que a folga na liderança fosse ainda de cinco pontos.

O Palmeiras tinha que fazer sua lição de casa, na véspera do campeonato, e Felipão mandou a campo o que tinha de melhor, com Thiago Santos fazendo a proteção à zaga e Lucas Lima no comando do ataque, tendo à frente William, Dudu e Borja. O time dominou completamente o acuado adversário que veio pra empatar ou perder de pouco, e teve sua única descida ao ataque já na parte final do primeiro tempo. Mas aos 40, William escorou cruzamento de Diogo Barbosa (que fez linda jogada) e Borja aproveitou pra abrir o placar.

Ainda dominante, o Palmeiras administrou o jogo no segundo tempo, buscando aumentar o placar mas sem dar espaços. William, cansado, deu lugar a Scarpa, e dominamos o meio campo. Já encaminhando-se à etapa final, Felipão mandou Felipe Melo no lugar de Lucas Lima, e ele marcou um golaço no lance seguinte: Scarpa levantou na área, e após um bate-rebate Melo acertou um belo chute, de primeira, no ângulo, inapelável!

Ainda havia tempo para mais um: nova cobrança de falta de Scarpa, e Luan desta vez apareceu para testar para as redes, com direito a comemoração com homenagem à esposa grávida. Dudu saiu para a antrada de Jean, e foi só esperar o fim do jogo e comemorar. Grande vitória, que deixa os adversários com o pé atrás e com o clima de "já era". A torcida já canta que o deca vem aí. Foco, ainda restam doze pontos, e embora possamos levantar a taça já na próxima rodada contra o lanterna não há nada ganho ainda. Seguimos!








"Eu vou beber, beber até cair... o deca vem aí, o deca vem aí..." :-D