quarta-feira, 24 de agosto de 2016

21/08/2016 - Palmeiras 2x2 Ponte Preta

Estádio Palestra Itália / Allianz Parque - Campeonato Brasileiro



O Palmeiras recebeu a Ponte Preta pela terceira vez em seu estádio, havendo perdido os dois primeiros confrontos e sem ter marcado sequer um gol. E não foi desta vez: mesmo estando à frente do placar por duas vezes, com gols de Rafael Marques e Thiago Martins, acabou cedendo o empate num contra-ataque e perdeu a chance de disparar na tabela.

Contra um time que veio só para jogar no contra-ataque, o desfalcado Palmeiras pouco conseguiu criar taticamente para envolver o sistema defensivo adversário. As jogadas de perigo saíram de lances individuais, primeiro de Dudu que lançou para a finalização de Moisés, e depois de Roger Guedes que resultou no primeiro gol, de Rafael Marques (que só precisou empurrar pra dentro).

Ao início do segundo tempo, um bate-rebate na área resultou no gol da Ponte, que se fechou novamente. O Palmeiras ainda passou à frente mais uma vez, com cabeçada de Thiago Martins após escanteio de Jean, mas sofreu o empate logo depois em jogada de velocidade. Egídio não conseguiu marcar, nem correr, nem desarmar, nem bloquear, e nem sequer tentou fazer a falta pra matar a jogada.

O time segue líder, mas definitivamente foi uma tarde extremamente frustrante. Para piorar, com a falha do rating do Avanti, fiquei na arquibancada superior. Não sabia se ficava mais nervoso com o resultado da partida ou com a cornetagem desenfreada e descabida de espectadores de programas esportivos vespertinos...







segunda-feira, 8 de agosto de 2016

07/08/2016 - Palmeiras 2x1 Vitória

Estádio Palestra Itália / Allianz Parque - Campeonato Brasileiro




Voltei ao Palestra após quase um mês longe do estádio, por motivos pessoais e profissionais. A expectativa de reabilitação era grande, após três rodadas sem vitória e a perda da liderança. Provisoriamente a recuperamos após bater o Vitória, com gols de Barrios (o 100º do Palmeiras no novo Palestra, e o 400° registrado aqui neste blog) e Cleiton Xavier.

O time não convenceu, infelizmente, e minha opinião. Começando pela direita, Tchê Tchê fazia boa partida tabelando com Jean, mais pro meio. Por volta dos 30 minutos ele inverteu, aproximando-se de Zé na esquerda, e então todas as jogadas passaram a ser por ali. O Vitória só atacava pela sua esquerda, parando na nossa marcação bem colocada.

Jean perdeu um pênalti, que além de ter sido extremamente mal batido teve um adiantamento monstruoso do goleiro - que até então estava pegando tudo. Leandro Pereira saiu sentindo contusão séria, e deu ligar para Barrios que logo depois guardou o seu. Barrios também saiu lesionado ao início do segundo tempo, e Rafael Marques foi para seu lugar. Pouco fez o camisa 19, no entanto. Palmeiras segue com a má sorte.

O time jogou melhor e demonstrou vontade, mas levou os três pontos também pela fragilidade do adversário. Tem muito o que treinar com opções táticas diferentes. Que o elenco não fique ainda mais reduzido, por lesões ou suspensões.








quinta-feira, 14 de julho de 2016

12/07/2016 - Palmeiras 1x1 Santos

Estádio Palestra Itália / Allianz Parque - Campeonato Brasileiro


Clique aqui para a ficha técnica

Pela primeira vez em uma partida do Palmeias no dia de meu aniversário, e justamente por este motivo pude acompanhar apenas o primeiro tempo. Um público recorde na nova arena acompanhou um bom primeiro tempo do Palmeiras que, muito desfalcado, jogou mais recuado que o normal. Logo de cara, aos seis minutos, o recém contratado Yerry Mina mandou pras redes após escanteio cobrado por Dudu.

Pouco depois Moisés teve que sair, lesionado, para a entrada de Arouca que acabava de voltar de contusão. Sem ritmo de jogo, o meio campo do time ficou ainda mais lento, deixando o adversário atacar. Apesar de alguns sustos, a atuação da defesa foi consistente e fomos ao intervalo em vantagem - mas não antes de perdermos Mina também por contusão séria, que o tira de campo por dois a três meses.

Tive que sair, enfim, e não acompanhei o empate em lance de sorte, com gol em chute despretensioso que contou com desvio em nossa zaga. Tenho queimado duas substituições por lesão, Cuca preferiu promover a volta de Leandro Pereira no lugar de Barrios, ao invés de colocar Cleiton Xavier para articular as jogadas. O empate acabou sendo o resultado final.








sexta-feira, 1 de julho de 2016

30/06/2016 - Palmeiras 4x0 Figueirense

Estádio Palestra Itália / Allianz Parque - Campeonato Brasileiro




Sete e meia em dia de semana é horário ruim por causa do trânsito (e, pra mim, por causa da estrada), mas quase 33 mil acompanharam mais uma goleada do Palmeiras, que se manteve na liderança do Campeonato Brasileiro. Embora o primeiro gol tenha saído logo aos sete minutos, em escanteio cobrado curto (Roger Guedes cruzou e Moisés completou para as redes), o time demorou para ganhar ritmo. Mas quando acelerou...

Impressionante a diferença entre o condicionamento físico deste ano e dos anos anteriores. O Palmeiras voava, trocava passes curtos sempre com alguém chegando. O time leve, com Guedes, João Pedro, Tchê Tchê, Dudu e Gabriel girava a bola com facilidade. E não só a molecada: Zé Roberto correu até o fim, apoiando e defendendo a lateral esquerda. Mesmo com a pressão, o segundo gol saiu apenas ao final do segundo tempo, com Dudu enchendo o pé após cruzamento pelo fundo de Roger Guedes e dividida de Cleiton Xavier.

No segundo tempo, já com Mateus Sales no lugar de Moisés, o time manteve a pegada e chegou ao terceiro em uma bela troca de passes, que terminou com cruzamento de Zé Roberto para finalização de cabeça de Gabriel Jesus que fechou no primeiro pau. Um golaço. Cuca ainda promoveu o retorno de Barrios, no lugar de Xavier, e mais pra frente Vitinho no lugar de Dudu. Barrios disputou bola e quase entrou com bola e tudo, mas foi travado no último momento.

Já aos 45, Roger Guedes (de novo) foi à linha de fundo e cruzou para Barrios que se encolheu todo pra tentar cabecear, mas não conseguiu. A bola quicou e apareceu limpa para Gabriel Jesus marcar seu segundo da noite, e o quarto do Palmeiras. Liderança garantida e 100% de aproveitamento em casa.







quarta-feira, 22 de junho de 2016

21/06/2016 - Palmeiras 2x0 América-MG

Estádio Palestra Itália / Allianz Parque - Campeonato Brasileiro




O Palmeiras recebeu o América-MG em jogo antecipado por causa de outro evento no estádio - a torcida havia até ameaçado sabotar o evento caso não pudéssemos jogar em casa. Para uma noite de terça-feira,  público bom para ver mais uma vitória e a manutenção da liderança do campeonato.

Com o mesmo time que batera o Santa Cruz no fim de semana o Palmeiras jogou fácil, com jogadores leves e rápidos no meio, não fixando um volante pesado (como seria Thiago Santos ou Gabriel) para cobrir a defesa. Moisés recuava para buscar a bola, e tinha diversas opções para distribuí-la: a dupla Jean/Tchê Tchê pela direita, ou Cleiton Xavier pelo meio ou mesmo enfiar a bola para Dudu e Roger Guedes nas pontas. Apenas a lateral esquerda apoiou pouco - Egídio realmente fez uma má partida.

De pé em pé, com toques precisos, o Palmeiras envolveu o América e chegava à área adversária com facilidade. Aos 18, após boa movimentação, Roger Guedes evitou a saída da bola cruzando para Cleiton Xavier, e ajeitou para a finalização de Gabriel Jesus. Dez minutos depois, o segundo veio novamente após boa troca de passes. A bola girou no campo de ataque para novo cruzamento rasteiro de Roger, e o toque fraco (mas direcionado) novamente de Gabriel Jesus.

Fato inusitado: reparem nas fotos abaixo que o Palmeiras voltou com dez para segundo tempo, por causa de um "imprevisto estomacal" de Tchê Tchê - ele acabou voltando aos três minutos. Com Fabiano, em sua estréia, no lugar de Jean, e mais tarde Zé Roberto e Vitinho substituindo Egídio e Cleiton Xavier, o Palmeiras continuou com a mesma pegada e criou muitas chances. Caberiam mais gols, mas a vitória veio de qualquer forma. Destaque para as excelentes atuações de Roger Guedes e Moisés.